Erótico Enrustido: Romance

domingo, 19 de abril de 2009

Romance

"A palavra paixão quer dizer sofrimento.
Paixão de Cristo... Paixão de Joana D'Arc....
"Em grande aflição, eles se apaixonaram", ou seja, quem disse que está apaixonado quer dizer que está sofrendo por amor, mas, o que é mais incrível, está gostando de sofrer.
Nas histórias românticas, amar significa sofrer.
E amar,absolutamente, significa morrer de amor.
...
Eu acho que sofrer é ruim de qualquer jeito, mas é melhor viver um grande amor, mesmo que impossível, do que não amar ninguém."

Romance

5 meses... Mais de 150 dias sem você

4 comentários:

f_terapia disse...

Embora sofrimento, dependencia e ilusão, o amor quando correspondido, mesmo que por pouco empo, dá-nos uma felicidade e experiência inigualáveis. Uma vida sem ter amado é triste e incompleta. Só pode sentir falta do amor quem um dia amou e foi amado.

Anônimo disse...

Se se morre de amor
de Gonçalves Dias

Se se morre de amor! - Não, não se morre,
Quando é fascinação que nos surpreende
De ruidoso sarau entre os festejos;
Quando luzes, calor, orquestra e flores
Assomos de prazer nos raiam n’alma,
Que embelezada e solta em tal ambiente
No que ouve e no que vê prazer alcança!

Simpáticas feições, cintura breve,
Graciosa postura, porte airoso,
Uma fita, uma flor entre os cabelos,
Um quê mal definido, acaso podem
Num engano d’amor arrebentar-nos.
Mas isso amor não é; isso é delírio
Devaneio, ilusão, que se esvaece
Ao som final da orquestra, ao derradeiro

Clarão, que as luzes ao morrer despedem:
Se outro nome lhe dão, se amor o chamam,
D’amor igual ninguém sucumbe à perda.
Amor é vida; é ter constantemente
Alma, sentidos, coração - abertos
Ao grande, ao belo, é ser capaz d’extremos,
D’altas virtudes, té capaz de crimes!
Compreender o infinito, a imensidade
E a natureza e Deus; gostar dos campos,
D’aves, flores,murmúrios solitários;
Buscar tristeza, a soledade, o ermo,
E ter o coração em riso e festa;
E à branda festa, ao riso da nossa alma
fontes de pranto intercalar sem custo;
Conhecer o prazer e a desventura
No mesmo tempo, e ser no mesmo ponto
O ditoso, o misérrimo dos entes;
Isso é amor, e desse amor se morre!

Amar, é não saber, não ter coragem
Pra dizer que o amor que em nós sentimos;
Temer qu’olhos profanos nos devassem
O templo onde a melhor porção da vida
Se concentra; onde avaros recatamos
Essa fonte de amor, esses tesouros
Inesgotáveis d’lusões floridas;
Sentir, sem que se veja, a quem se adora,
Compreender, sem lhe ouvir, seus pensamentos,
Segui-la, sem poder fitar seus olhos,
Amá-la, sem ousar dizer que amamos,
E, temendo roçar os seus vestidos,
Arder por afogá-la em mil abraços:
Isso é amor, e desse amor se morre!

disse...

E tu não esquece dele? É sei como é isso hein ...

Ernani Netto disse...

O amor é a dor que queremos... pelo prazer que se tem como recompensa!

Bjaum